MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO icon

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO

Реклама:



Download 125.79 Kb.
TitleMEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO
Date conversion15.05.2013
Size125.79 Kb.
TypeDocuments
Source

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO


PROJETO . . . . . . . . . ELÉTRICO PREDIAL RESIDENCIAL

OBRA . . . . . . . . . . . .(nome do edifício).

LOCALIDADE . . . . . . (endereço).

PROPRIEDADE . . . .. (nome do proprietário).

OBJETIVO . . . . . . . . APROVAÇÃO PELA CELESC.


01 - FINALIDADE DO PROJETO

O presente projeto tem por finalidade o suprimento da energia elétrica à ser fornecida pela CELESC para o edifício residencial denominado ________________ a ser construído pelo proprietário ________________ na R. ou Av. ____________________, neste Estado.


02 - PONTOS ELÉTRICOS DOS APARTAMENTOS TIPOS

Cada um dos ____ (quantidade de apartamentos) apartamentos tipo (101, 102, 103...104) será composto pelas seguintes potências previstas segundo a NBR 5410 / 2005:

  • Iluminação


(1)



Potência total de iluminação prevista (KVA) =

xxx





OBS.: - Potência de Iluminação em W = VA*1


  • Tomadas de uso geral




Quantidade X 100 VA

xxx

Quantidade X 600 VA

xxx

Quantidade X _____VA

xxx

Total (KVA) =

x
(2)
xx

Total (KW) = (2) x 0,80

xxx




  • Tomadas de uso específico



Quantidade X Potência, para alimentação do chuveiro

xxx (W)

xxx (VA)

Quantidade X Potência, para alimentação do ar condicionado

xxx (W)

xxx (VA)

...







Total =

xxx (W)

xxx (VA)


(4)



Total de carga do apartamento = (1)+(2)+(3)

xxx (KW)

xxx (KVA)

OBS.: - Equipamentos puramente Resistivos W=VA, senão W/0,80

- Pela carga total sabe-se o tipo de fornecimento do apartamento


03 - PONTOS ELÉTRICOS DO CONDOMÍNIO

O condomínio será composto dos seguintes pontos elétricos previstos segundo a NBR 5410 / 2005:

  • Iluminação


(5)


Potência total de iluminação prevista =

xxx (KW)

xxx (KVA)



  • Tomadas de uso geral

Quantidade X 100 VA

xxx

Quantidade X 600 VA

xxx

Quantidade X ____VA

xxx

Total (KVA) =

x
(6)
xx

Total (KW) = (6) x 0,80

xxx




  • Tomadas de uso específico:




Quantidade X 100 VA

xxx

Quantidade X 600 VA

xxx

Quantidade X ____VA

x
(7)
xx

Total (KVA)=

xxx

Total (KW) = (7) x 0,80

xxx

OBS.: Equipamentos puramente Resistivos W=VA, senão W/0,80

  • Motores:




Quantidade X 1 CV

xxx (KVA)

Quantidade X 5 CV

xxx (KVA)

Quantidade X 10 CV

x
(8)
xx (KVA)

Total (KVA) =

xxx (KVA)

Total (KW) = (8) x 0,80

xxx (W)


(9)



Total de carga do condomínio (VA) = (5)+(6)+(7)+(8)

xxx

Total de carga do condomínio (W) = (5)+(6)+(7)+(8)

xxx


^ 04 – CÁLCULO DA CARGA INSTALADA TOTAL



Número de apartamentos tipo =

xxx

Total de carga do apartamento (VA) = (4)

x
(10)
xx

Total de cargas de todos os apartamentos (KVA) =

xxx

Total de cargas de todos os apartamentos (KW) =

xxx


A carga total instalada do prédio será de:


Total de carga de todos os apartamentos (VA) = (10)

xxx

Total de carga do condomínio (VA) = (9)

x
(11)
xx

Total de carga do prédio (KVA) = (9) + (10)

xxx

Total de carga do prédio (W) = (9) + (10)

xxx


05 - CÁLCULO DA DEMANDA DO APARTAMENTO

Para o cálculo da demanda de um apartamento, utilizou-se as orientações constantes na norma de fornecimento de energia a múltiplas unidades consumidoras SM01.00-00.002 5ª edição de 31/07/2007.



Daptos (Demanda dos apartamentos): é função do número de apartamentos e de sua área Daptos

Daptos = F1 x F2

F1 = fator de diversidade em função do número de apartamentos (tabelado): representa o fato de que as demandas máximas de cada unidade tomada individualmente ocorrem em instantes diferentes -> a demanda máxima de um conjunto de consumidores é menor do que a soma das demandas máximas de cada consumidor

F2 = Fator de demanda em função da área útil do apartamento (tabelado): desconsiderar áreas de garagens e outras áreas comuns dos edifícios, algumas vezes incluídas como pertencentes aos apartamentos.



^ Tabela em anexo (F1)



Fator de diversidade (F1) =

xxx



A área útil do apartamento (m2) =

x
^ Tabela em anexo (F2)
xx

Fator de demanda (F2 ) (KVA) =

xxx


(12)



Potência de Demanda (Daptos) (KVA) = F1 x F2

xxx



06 – CÁLCULO DA DEMANDA DO CONDOMÍNIO

Para o cálculo da demanda de um apartamento, utilizou-se as orientações constantes na norma de fornecimento de energia a múltiplas unidades consumidoras SM01.00-00.002 5ª edição de 31/07/2007.


Dcondom (Demanda do condomínio): corresponde à soma de todas as cargas de iluminação, de tomadas e de motores instalados nas áreas do condomínio. Os seguintes critérios se aplicam:

  • cargas de iluminação – 100% para os primeiros 10kW e 25% ao excedente

  • cargas de tomadas – 20% da carga total

  • motores - aplicam-se tabelas de demanda para motores mono e trifásicos


Dcondom = I1 + (0.25 x I2)+ (0.20 xT) + M (KVA)


I1 = parcela da carga de iluminação do condomínio até 10kW

I2 = parcela da carga de iluminação do condomínio acima de 10kW

T = carga total de tomadas do condomínio

M = demanda total de motores do condomínio (tabelas)




Potência Instalada de Iluminação (KVA) = (5)

xxx

Potência Instalada de Tomadas (KVA) = (6)+(7)

xxx

Potência de Demanda de Motores (KVA) = (8)

xxx


(13)



Potência de Demanda (Dcondom)) (KVA) =

xxx


07 – CÁLCULO DA DEMANDA DO PRÉDIO

Para o cálculo da demanda do prédio, utilizou-se as orientações constantes na norma de fornecimento de energia a múltiplas unidades consumidoras SM01.00-00.002 5ª edição de 31/07/2007.


Dedif = 1.20 (Daptos + Dcondom) (KVA)


(14)



Potência de Demanda do Edifício (KVA) =

xxx

^ Potência de Demanda do Edifício (KW) =

xxx

OBS.: Para converter Potência de Demanda de VA para W, multiplicar VA*0,92


08 – DIMENSIONAMENTO DO RAMAL DE ALIMENTAÇAO DO PRÉDIO

Com o cálculo da demanda do prédio, efetuado no item anterior, o ramal de alimentação é dimensionado através da tabela 01 constantes na norma de fornecimento de energia a múltiplas unidades consumidoras SM01.00-00.002 5ª edição de 31/07/2007., conforme discriminação abaixo:

Total da carga ativa demandada do prédio ...... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx KW

Fator de potência do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 0,92

Total da carga aparente demandada do prédio (14). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx KVA

Cabeação de alimentação do prédio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . x#xx mm2/750V

Eletroduto de proteção da cabeação de entrada do prédio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx mm (PVC)

Disjuntor geral de proteção do prédio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx A


Obs.: Com a Demanda do Edifício, entra-se na tabela da concessionária para obter as informações acima e define-se o tipo de fornecimento de energia elétrica.
^

8.1. BALANCEAMENTO DE FASES DOS APARTAMENTOS (CASO TENHA MAIS DE UMA FASE)


Circuito

Fase 1

Fase 2

Fase 3

Apto1

1/3

1/3

1/3

Apto2

1/3

1/3

1/3

Apto3

1/3

1/3

1/3

condomi

1220







5




775




6




690




7




670




8




750

750

9

2750




2750

10




545




11




750

750

12




2750

2750

13




545




14

750




750

15

2750

2750




16







520

17




2750

2750

18







900

19

750




750

Total (W)

13690

15725

12670


^ 09 – DIMENSIONAMENTO DO RAMAL DE ALIMENTAÇAO DO CONDOMÍNIO

Com o cálculo da demanda do condomínio, efetuado conforme descrito no item 06, o ramal de alimentação é dimensionado conforme os critérios e métodos previstos pela norma NBR5410, o resumo é discriminado abaixo:

Total da carga ativa demandada do condomínio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx W

Fator de potência do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 0,92

Total da carga aparente demandada do condomínio (13) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx VA

Cabeação de alimentação do condomínio . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . x#xx mm2/750V

Eletroduto de proteção da cabeação de entrada do condomínio . . . . . . . . . . . . .. . . xx mm (PVC)

Disjuntor geral de proteção do condomínio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx A


Obs.: Com a Demanda do Edifício, entra-se na tabela da concessionária para obter as informações acima.


10 – DIMENSIONAMENTO DO RAMAL DE ALIMENTAÇAO DO APARTAMENTO TIPO

Com o cálculo da demanda do apartamento, dados utilizados do item 02, o ramal de alimentação é dimensionado conforme os critérios e métodos previstos pela norma NBR5410, o resumo é discriminado abaixo:

Total da carga ativa demandada do apartamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx W

Fator de potência do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 0,92

Total da carga aparente demandada do apartamento (12) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . xxx VA

Cabeação de alimentação do apartamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . x#x mm2/750V

Eletroduto de proteção da cabeação de entrada do apartamento . . .. . . . . . . . . . . . xxx mm PVC)

Disjuntor geral de proteção do apartamento . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .xxx A


Obs.: Com a Demanda do Apartamento Tipo, entra-se na tabela da concessionária para obter as informações acima.


11 - CÁLCULOS DOS CONDUTORES, ELETRODUTOS E DISJUNTORES DO APARTAMENTO TIPO E DO CONDOMINIO.


11.1 – APARTAMENTO TIPO:


Circuito 1: Iluminação










;

Circuito 2: Tomada de Uso Geral












Circuito 3: Tomada de Uso Específico












..........


Circuito AL: Circuito alimentador, calcular o condutor pela potência total dos circuitos





Eletroduto:




11.2 – CONDOMINIO:


Circuito 1 - Iluminação








  • ;


Circuito 2 – Tomada de Uso Geral








  • ;



Circuito 3 – Tomada de Uso Específico








  • ;


.........


Circuito AL: Circuito alimentador, calcular o condutor pela potência total dos circuitos




Eletroduto:




12 – PARA RAIO



Características Gerais

Seção do Cabo

Tipo

Altura Haste (m)

Nro. Descidas

Captador

Captação(mm2)

Descida (mm2)

Aterramento (mm2)

Equalização (mm2)

Franklin























(Apresentar a Descrição dos Cálculos)

onde: R e H são respectivamente o Raio e a Altura do cone.

, H é altura da haste e R é o raio , seu valor é a metade do lado maior do prédio.

p.ex.: lado maior do prédio = 12m então R=6m, considerando o nível de proteção III então o ângulo (α) = 45o


, então a haste do pára raio é 6m. Caso a haste é instalado em cima da caixa d´agua então:

, onde L é a altura da caixa d´agua.


Cabos de Descidas: Sendo que o numero mínimo de descidas exigido pela norma é de 2.

  • Para edificações até 20m as seções mínimas são: 16mm² de cobre, 25mm² para alumínio e 50 mm² para o aço galvanizado.

  • Para edificações superiores a 20m as seções mínimas são: 35mm², 50 mm² e 70 mm² respectivamente.





Aterramento:

^ Aterramento com 3 hastes: d2 a 3m








^ 13 - CONCLUSÃO

Para o ed. (nome do edifício) a CELESC deverá efetuar a ligação para atender as instalações elétricas de luz e força deste prédio residencial.


Joinville, xx de xxxxx de xxxx.


__________________________________

Fulano de Tal da Silva - Projetista

Técnico Industrial em Eletroeletrônica CREA 012.345.678-9/ SC

Rua Sem nome e Sem Número

CEP: Fone - (047) 8765-4321

ANEXOS: Cálculo das Demandas dos Apartamentos em função das Áreas (F2):





Fatores para Diversificação (F1) de Carga em Função do Número de Apartamentos:




Determinação da Potência (KVA) em Função da Quantidade de Motores (M):









Condutores, Proteção e Eletrodutos das Unidades Consumidoras (380/220 V)





Dimensionamento de Eletrodutos – Fornecimento em Baixa Tensão






^ Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas – Para Raio:










^ Método Franklim:





Ângulo (α) de Proteção:





onde: R e H são respectivamente o Raio e a Altura do cone.

, altura da haste e o raio é a metade do lado maior do prédio.

p.ex.: lado maior do prédio = 12m então R=6m, considerando o nível de proteção III então o ângulo (α) = 45o


, então a haste do pára raio é 6m. Caso a haste é instalado em cima da caixa d´agua então:

, onde L é a altura da caixa d´agua.

^ Tamanho padronizado dos mastros:




Uma vez ter sido captada pelo captor a descarga atmosférica deverá ser conduzida ao sistema de aterramento pelos condutores de descida (Cabo de descida) onde o numero de condutores utilizados, o distanciamento entre eles e a respectiva seção transversal deverão ser escolhidos de maneira que:

  • Os Condutores suportem térmica e mecanicamente as correntes e os respectivos esforços;

  • Não haja descargas laterais;

  • Os campos eletromagnéticos sejam mínimos;

  • Não haja risco para as pessoas próximas;

  • Não haja danos às paredes;

  • Os materiais usados resistam as intempéries e a corrosão.





Cabos de Descidas: Sendo que o numero mínimo de descidas exigido pela norma é de 2.

  • Para edificações até 20m as seções mínimas são: 16mm² de cobre, 25mm² para alumínio e 50 mm² para o aço galvanizado.

  • Para edificações superiores a 20m as seções mínimas são: 35mm², 50 mm² e 70 mm² respectivamente.

;

p.ex.: prédio de lados =6x6x6x6, então =4*6=24m; sendo o nível de proteção III, temos: =20 = 1,2 cabos

Aterramento com 3 hastes: d2 a 3m




Método Gaiola de Faraday:







A norma recomenda instalar captores verticais ou terminais aéreos de 30 a 50 cm de altura, separados de 5 a 8m ao longo dos condutores da malha.


Captores verticais ou terminais aéreos:




^ Condutores horizontais devem cobrir todo o perímetro da estrutura:




Condutores horizontais devem cobrir todo o perímetro da estrutura, formar uma malha:



As descidas devem ser distribuídas ao longo da edificação, com espaçamento máximo dado pela tabela abaixo:




A escolha dos condutores de descida é dada pela tabela abaixo:








Aterramento, no mínimo uma haste para cada descida, todas as hastes devem estar interligadas formando um anel. O aterramento deve ser único em toda a instalação e a resistência de aterramento deve ser < 10 ohms.


PIP-Projeto de Instalações Elétricas (14.06.2012) pág.

Add document to your blog or website
Реклама:

Similar:

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconDocumentos
1. /MED-Memorial Descritivo/MED-Memorial Descritivo/02.0033.MED.001.pdf
2. /MED-Memorial...

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconDocumentos
...

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconDocumentos
...

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconDocumentos
1. /AR CONDICIONADO SPLIT - MEMORIAL DESCRITIVO.pdf
2. /AR...

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconDocumentos
1. /AR CONDICIONADO SPLIT - MEMORIAL DESCRITIVO.pdf
2. /AR...

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconIF-BAIANO CAMPUS ITAPETINGA BLOCO SALAS DE AULA E LABORATÓRIOS MEMORIAL DESCRITIVO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconIF-BAIANO CAMPUS TEIXEIRA DE FREITAS BLOCO SALAS DE AULA E LABORATÓRIOS MEMORIAL DESCRITIVO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconIF-BAIANO CAMPUS SANTA INÊS BLOCO SALAS DE AULA E LABORATÓRIOS MEMORIAL DESCRITIVO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconDocumentos
1. /Arq. Digital/EDITAL TP 02.2011.pdf
2. /Arq....

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO PROJETO iconDocumentos
1. /Projeto - Laboratвrio de EletrУnica/1.0 - Projeto_Laboratвrio EletrУnica 2010 vf Bloco...

Place this button on your site:
Documents


The database is protected by copyright ©brd.docdat.com 2000-2013

send message
Documents